Entenda quais são os custos fixos e os custos variáveis de uma empresa

Para criar e manter uma empresa, há uma série de custos. É preciso comprar insumos, pagar tributos, remunerar o time, entre outras coisas. Para otimizar a gestão de custos, é preciso classificá-los como custos fixos ou custos variáveis de uma empresa.

Ao conhecer melhor os custos, você saberá qual está diretamente envolvido com o processo produtivo da empresa, quais poderão ser reduzidos e como isso terá impacto (positivo ou negativo) no estabelecimento. Desse modo, terá mais chances de decidir com acerto.

Nos tópicos seguintes, você vai entender o conceito de custos fixos e custos variáveis de uma empresa, quais são os principais e como reduzi-los. Boa leitura.

Afinal, o que são custos fixos e variáveis?

Muitos fatores podem diferenciar os custos da empresa. Alguns são mais frequentes, comprometem uma “fatia” maior do orçamento, estão envolvidos na atividade-fim da empresa e ainda podem ser considerados estratégicos. Outros, não.

Então, para facilita a administração dos custos, é comum classificá-los de acordo com alguns critérios. É possível destacar custos: diretos e indiretos, estratégicos e não estratégicos, fixos e variáveis. O foco deste artigo está nesse último conjunto de custos.

Para ficar mais claro, imagine que você teve um mês atípico e suas vendas dobraram. A equipe precisou fazer horas extras e a loja funcionou por mais tempo. No fim do mês, o custo da energia elétrica cresceu. A loja consumiu mais energia e a conta aumentou.

Nesse caso, tem-se um custo variável. Em resumo, é o tipo de custo que varia segundo a nível de produtividade e entrega da empresa. Ou seja, não é algo estável no tempo.

O custo fixo, por sua vez, é aquele que se mantém estável, fixo, mesmo que a empresa seja mais produtiva. O aluguel do ponto comercial é um exemplo disso. Não importa o quanto você vende, no fim do mês, o valor do aluguel será exatamente o mesmo.

Quais são os principais custos fixos e variáveis?

Alguns custos podem enganar. Por exemplo, o pagamento da equipe de vendas é um custo fixo ou variável? Bom, você pode dizer que é um custo variável, pois muda de acordo com o volume de vendas, mas não é bem assim. É preciso analisar mais a fundo.

Primeiro, o termo “pagamento” é muito amplo. Nele, está o salário mensal, que é fixo. Também está o comissionamento do time, que varia bastante de acordo com o volume de vendas. Logo o salário é um custo fixo e o comissionamento, variável.

Adiante, apresentamos alguns dos principais custos fixos:

  • aluguel do ponto comercial;

  • contrato com fornecedores (de limpeza e segurança, por exemplo);

  • pacote de internet e telefone fixo;

  • salário dos funcionários;

  • aluguel de máquinas e equipamentos;

  • certos impostos (IPTU, por exemplo).

Por outro lado, também existem os custos variáveis, veja:

  • comissionamento dos vendedores;

  • conta de água e energia elétrica;

  • manutenção de máquinas e computadores;

  • conta do telefone celular;

  • combustível dos automóveis da empresa.

Os custos de uma empresa podem variar bastante. Portanto comece fazendo um levantamento geral dos seus custos mensais. Em seguida, classifique-os de acordo com sua estabilidade. Assim, saberá exatamente quais são seus custos fixos e variáveis.

Como reduzir os custos fixos e variáveis?

Existem muitas estratégias prováveis para a redução de custos. Para reduzir um custo fixo, é preciso investir no aumento da produtividade. Assim, poderá produzir mais e gastar a mesma coisa, comprometendo uma “fatia” menor do orçamento empresarial.

Os custos variáveis exigem outras estratégias. É preciso renegociar com fornecedores, manter o consumo baixo e evitar desperdícios. Desse modo, poderá consumir menos recursos e, por consequência, terá uma redução de custos mensal. Veja mais, adiante!

Renegocie com fornecedores

Primeiro, é interessante renegociar com os fornecedores. Avalie quais são os atuais serviços fornecidos à empresa, como pacotes de telefone fixo, serviços de segurança e assessoria jurídica, e inicie uma “cruzada” pela redução desses custos.

Também é possível negociar com fornecedores de materiais que são vendidos em seu estabelecimento. Ao obter um preço de compra inferior, terá mais margem de lucro e comprometerá menos o orçamento. Então comece com a renegociação.

Elimine os desperdícios diários

Pequenos desperdícios podem somar mais custos à empresa. Por exemplo, ao usar mais energia elétrica e água que o necessário, terá uma conta maior no fim do mês. O mesmo vale para o consumo desregrado de papéis, copos descartáveis e outros itens.

Nesse caso, é interessante reunir-se com a equipe e lançar uma palavra de ordem: desperdício zero. Todos os recursos da empresa devem ser bem aproveitados, sem desperdícios que gerem contas extras. Todos devem entender a importância disso.

Aumente a produtividade

Ao aumentar a produtividade, os custos fixos se manterão os mesmos e o ganho da empresa será maior. Ou seja, em relação ao volume total de ganhos, os custos serão cada vez mais baixos. Isso é chamado de economia em escala.

Para aumentar a produtividade, é interessante estabelecer metas desafiadoras, treinar a equipe, recompensar a alta performance e criar uma cultura de entrega. Quanto mais a empresa produz, relativamente mais baixos serão os custos fixos.

Mensure seus resultados

No processo de redução de custos, é importante monitorar os indicadores financeiros com frequência. Desse modo, você saberá exatamente quais custos está conseguindo reduzir e quais estão crescendo ao longo do tempo. 

Portanto estabeleça e monitore alguns relatórios com frequência, isto é, mensalmente ou trimestralmente. O relatório de demonstrativos de resultado do exercício (DRE) é um bom exemplo. O relatório de fluxo de caixa também é muito importante.

Considere os atuais tributos pagos

Por fim, aproveite para passar um “pente fino” nos atuais tributos (impostos, taxas e contribuições ao Estado) que são pagos. Algumas empresas pagam mais tributos que o devido, o que afeta seu desempenho financeiro e compromete seu orçamento mensal.

Como definir preços de vendaPowered by Rock Convert

Nesse caso, o mais interessante é se reunir com os profissionais da contabilidade ou com auditores externos e analisar os últimos tributos pagos. Eles podem ser eliminados ou reduzidos? Estão sendo devidamente pagos? São duas questões importantes.

Enfim, agora você está por dentro do assunto, sabe quais são os custos fixos e os custos variáveis de uma empresa e como identificá-los. A redução desses custos é um processo. É preciso renegociar com fornecedores, evitar desperdícios, aumentar a produtividade, monitorar relatórios e avaliar se os tributos estão sendo bem pagos.

Gostou do nosso artigo? Aproveite para continuar aprendendo conosco. Confira os erros que mais atrapalham suas vendas e como evitá-los. Vamos lá?